Troca de restaurações metálicas

Pessoas cardíacas podem tomar anestesia com vasoconstritor?
29/05/2019
Facetas laminadas são sempre brancas e artificiais?
04/06/2019
Saudações odontológicas, tudo bem com você?
Vamos falar um pouquinho sobre a troca de restaurações, lembrando que esse é um vídeo de dentista para quem não é dentista. Há quatro anos eu venho produzindo conteúdo para dentistas, já tenho mais de 100 mil seguidores no Instagram, mas agora eu quero fazer uma comunicação, quero que você, que não é dentista, saiba um pouquinho sobre a nossa profissão. Eu vou falar sobre a troca de restaurações metálicas, aquele famoso amálgama.

Por que trocar uma restauração metálica?
Primeiro porque ela é muito feia, mas se esse fosse único problema, a gente até poderia deixar ela na boca, mas tem uma outra questão: a restauração de amálgama não têm adesão ao dente, ou seja, você teve uma cárie, o dentista foi lá, removeu essa cárie e vai ficar uma cavidade no seu dente. Quando o fechamento desse orifício, dessa cavidade, é feito com amálgama, é como se fosse inserida uma cunha metálica dentro do seu dente. O problema é que o amálgama tem uma capacidade muito grande de induzir o dente à fratura. Muitos dentes se perdem ou fraturam por causa dessa restauração de amálgama. Quanto maior a restauração de amálgama, mais chances você tem de ter um dente fraturado. Vamos ali para o computador. Quero mostrar pra você a vantagem de uma restauração em resina composta.
Essa é uma restauração de amálgama. Essa parte metálica não tem adesão, não gruda nessa parte da cúspide do dente. É por isso que acontecem fraturas frequentemente até em dentes muito preservados.
Como fazer para trocar essa restauração? A primeira coisa é remover toda a restauração com o maior cuidado para que a gente possa preservar a estrutura dentária. Agora nós vamos fazer o processo de adesão. Então serão utilizados produtos que conseguem colar essa estrutura dentária. Quando você tem uma restauração com adesão ao dente, ela vai aumentar a capacidade mecânica desse dente. Essa bordinha aqui, por exemplo, é aderida, então essa cúspide está totalmente colada nessa restauração de resina.
A restauração de resina devolve a resistência para essa cúspide aqui. Portanto se você está pensando em trocar suas restaurações escuras e metálicas por restaurações brancas de resina, te dei mais um motivo! Se a resina for feita de forma adequada, bem aderida com o isolamento absoluto e colada de fato à estrutura dentária, vai deixar o seu dente mais resistente. Aí, além de ter uma instalação branca bonita e estética, você ainda vai ter um dente que está mais resistente para que você possa mastigar com segurança!
Se você ficou interessado em saber mais sobre esse assunto ou tem alguma dúvida sobre qualquer procedimento odontológico,entre em contato comigo através das redes sociais! Terei o maior prazer em responder suas perguntas! Instagram: @cosenzaodontologia Facebook: @cosenzaodontologia Youtube: Heitor Cosenza
Um grande abraço e até o próximo vídeo!
Heitor Cosenza
Heitor Cosenza
Dr. Heitor Bernardes Cosenza Cirurgião Dentista pela Faculdade de Odontologia de Bauru – USP, Especialista em Implantodontia pela Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas, Mestre em Implantodontia pela USC Bauru, Pós-graduado em Odontologia Estética pelo SENAC São Paulo e Coordenador da Especialização em Prótese Dentária da F1 Cursos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscreva-se para Novidades

Junte-se ao nosso mailing para manter-se atualizado sobre novos posts.

Você foi inscrito com sucesso!